Festa dos Tabuleiros em Tomar

PT

A Festa dos Tabuleiros ou Festa do Divino Espírito Santo é uma das manifestações culturais e religiosas mais antigas de Portugal. Segundo os investigadores a sua origem encontra-se nas festas de colheitas à deusa Ceres. A sua cristianização pode dever-se à Rainha Santa Isabel que lançou as bases do que seria a Congregação do Espírito Santo, movimento de solidariedade cristã que em muitos lugares do reino absorveu as primitivas festas pagãs. O ponto alto das festividades que juntava ricos e pobres sem qualquer distinção ocorria no Domingo de Pentecostes, dia em que as línguas de fogo desceram sobre os Apóstolos simbolizando a igualdade de todos perante Deus. (mais).

Ontem tive a oportunidade de assistir a mais uma manifestação cultural desta vez em Tomar. DSC_0063

Denominada por Festa dos Tabuleiros esta festividade ocorre apenas de 4 em 4 anos. Os tabuleiros, decorados com flores de papel e pães são bastante altos, ao que parece da altura de cada mulher que o transporta. A seu lado encontra-se um homem que, quando necessário, presta auxílio às senhoras.

Nos cortejos, que passam por várias ruas da cidade, as mulheres com os tabuleiros na cabeça circulam duas a duas. Na minha recolha de informações, os homens circulam ao seu lado pelo interior das filas mas verifiquei que não era isso que estava a acontecer (fica a dúvida).

 

DSC_0046

Depois de ver o cortejo foi a vez de visitar as ruas ornamentadas com flores de papel…. milhares ou mesmo milhões. Lindíssimo que ficou. Só de pensar o tempo necessário para decorar todas as ruas, o trabalho e a dedicação em tornar o mais bonito possível. Deve levar meses a preparar.

 

Depois de visitadas as ruas, de almoçar por Tomar e procurar uma boa sombra e um doce tradicional foi hora de subir ao Convento de Cristo e ao Castelo de Tomar. Deixo-vos aqui o caminho feito para a entrada do Convento.

Em breve mais fotografias 🙂

JM

Sobre a programação | About Coding

PT|ENG (see below)
Na altura dos balanços decidi fazer um post sobre Programar na escola com o Kodu. Apesar de muitos acharem que programar é o mesmo que brincar… jogar… e perder tempo, partilho convosco a minha experiência.
Nos últimos anos tenho recorrido à programação como uma forma de colocar os meus alunos a discutir, a descobrir, a relacionar e terem mesmo de pensar como resolver situações. Aliar isto tudo a uma história por eles criada sai um produto totalmente feito por eles. O que se consegue mais? A interajuda. É verdade, os alunos para além de ignorarem o toque de saída, ajudam-se uns aos outros e chegam mesmo a desafiar-se.
Este ano não foi diferente, mas o melhor de tudo foi colocar esses mesmos alunos que aprenderam a programar a transmitir aos pais tudo o que aprenderam, mas principalmente o que descobriram. Não acham que desta forma desenvolvemos muitas competências? Não será que os nossos alunos ficarão mais interessados pela escola?
JMe0d3c8ef[1]

Começar com uma despedida | Start by saying goodbye

PT | ENG

Este ano letivo foi repleto de novos desafios. Com novas ideias na manga e com novos alunos decidi arrojar e puxar pela sua imaginação. Fiquei muito contente com os resultados e isso foi bem visível no seu empenho, na sua dedicação sobre os trabalhos pedidos, mas acima de tudo pela vontade que evidenciaram em querer mais e mais.
Continue reading “Começar com uma despedida | Start by saying goodbye”