O mundo 3D em sala de aula – O poder da fotografia

Microsoft_Live_Labs_Photosynth_logoA imagem deve proporcionar debate, cenários, processos, encaminhar para novas leituras e potenciar conclusões, por vezes de modo mais eficaz que a linguagem verbal. A imagem pode assumir uma centralidade dinamizadora da aprendizagem.

in: Brázia, 2014 (ver)

Para além de muitas outras citações que poderia indicar, esta foi a primeira que me surgiu no motor de busca, ou seja a informação está à mão de todos e o poder não fica por aqui.

O crescente aumento dos dispositivos móveis que digitalizam a realidade é enorme. A qualidade desse registo aumenta a cada dia que saem novos modelos. Há alguns anos ter uma máquina fotográfica de 3 megapixéis era muito bom, mas agora um simples telemóvel chega facilmente aos 8, 10 megapixéis. A qualidade e nitidez das imagens tem sido uma preocupação dos fabricantes, não fosse essa uma forma de rentabilizar um produto.

Tenho tido várias experiências com aplicações para criar ambientes virtuais, mas sem dúvida que a que mais me surpreendeu até agora foi o Photosynth. Com este software pretendo desenvolver um trabalho com os meus alunos de matemática, mas que pode ser utilizada por outras áreas de aprendizagem como as ciências naturais, a história ou outras.

A primeira questão é O que é o Photosynth?

Sim é uma tecnologia da Microsoft que, em parceria com a University of Washington, desenvolveram uma aplicação gratuita que analisa as fotografias tiradas com uma máquina fotográfica gerando uma imagem tridimensional. A aplicação tem sofrido alterações ao longo dos últimos tempos. A App deixou de estar disponível na loja do Windows Phone e do IOS para agora estar vocacionada para a versão online. Segue um exemplo que fiz quando fiz uma visita ao Convento de Cristo em Tomar.

Entrada Convento de Cristo by joseduartem on Photosynth

Continue reading “O mundo 3D em sala de aula – O poder da fotografia”

Festa dos Tabuleiros em Tomar

PT

A Festa dos Tabuleiros ou Festa do Divino Espírito Santo é uma das manifestações culturais e religiosas mais antigas de Portugal. Segundo os investigadores a sua origem encontra-se nas festas de colheitas à deusa Ceres. A sua cristianização pode dever-se à Rainha Santa Isabel que lançou as bases do que seria a Congregação do Espírito Santo, movimento de solidariedade cristã que em muitos lugares do reino absorveu as primitivas festas pagãs. O ponto alto das festividades que juntava ricos e pobres sem qualquer distinção ocorria no Domingo de Pentecostes, dia em que as línguas de fogo desceram sobre os Apóstolos simbolizando a igualdade de todos perante Deus. (mais).

Ontem tive a oportunidade de assistir a mais uma manifestação cultural desta vez em Tomar. DSC_0063

Denominada por Festa dos Tabuleiros esta festividade ocorre apenas de 4 em 4 anos. Os tabuleiros, decorados com flores de papel e pães são bastante altos, ao que parece da altura de cada mulher que o transporta. A seu lado encontra-se um homem que, quando necessário, presta auxílio às senhoras.

Nos cortejos, que passam por várias ruas da cidade, as mulheres com os tabuleiros na cabeça circulam duas a duas. Na minha recolha de informações, os homens circulam ao seu lado pelo interior das filas mas verifiquei que não era isso que estava a acontecer (fica a dúvida).

 

DSC_0046

Depois de ver o cortejo foi a vez de visitar as ruas ornamentadas com flores de papel…. milhares ou mesmo milhões. Lindíssimo que ficou. Só de pensar o tempo necessário para decorar todas as ruas, o trabalho e a dedicação em tornar o mais bonito possível. Deve levar meses a preparar.

 

Depois de visitadas as ruas, de almoçar por Tomar e procurar uma boa sombra e um doce tradicional foi hora de subir ao Convento de Cristo e ao Castelo de Tomar. Deixo-vos aqui o caminho feito para a entrada do Convento.

Em breve mais fotografias 🙂

JM